O que esperar de 2021 para os negócios

Depois de um ano conturbado, a expectativa para 2021 é de recuperação para a economia

Por: Leonardo Raposo, Co-Founder and Head of US Operations
Escrito em: 06/01/2021

O ano de 2020 foi bastante conturbado para a economia, com diversos setores em crise por causa da pandemia. Queda nas vendas, comércio fechado por meses, afastamento de funcionários e falta de insumos, entre outros fatores, geraram uma queda no faturamento esperado para 2020 em muitos setores, além de demissões e fechamento de empresas. Mas a expectativa para 2021 é de recuperação, trazendo otimismo para a maioria dos segmentos:

 

  • Indústria automotiva: a indústria de automóveis contabilizou queda nas vendas de veículos novos em 2020, mas já mostra recuperação nos últimos meses desse ano, com expectativa de crescimento de 25% em 2021, segundo levantamento feito por uma montadora japonesa do setor;

 

  • Bens de consumo: o setor de bens de consumo terá o desafio de criar alternativas para incentivar as vendas em 2021. Isso porque, segundo uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), 35% dos brasileiros pretendem reduzir o nível de consumo de bens e serviços em 2021, diante do cenário de incertezas;

 

  • Indústria de entretenimento: a pandemia interrompeu de forma abrupta o crescimento da indústria brasileira de entretenimento em 2020, com queda esperada de 6,5% em comparação com 2019. Mas a expectativa para os próximos 5 anos é de crescimento médio anual de 2,47%, segundo a 18ª Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia;

 

  • Saúde: o setor da saúde é um dos mais promissores para 2021. Com a pandemia, a preocupação da população com a saúde cresceu muito, rendendo frutos para quem trabalha na área. A oferta e a demanda desse tipo de serviço devem aumentar, com novidades e tendências que surgiram durante a pandemia, como a telemedicina;

 

  • Marketing e mídias: umas das principais tendências do marketing digital em 2021 é a criação de novos formatos de marketing online, em função das novas tecnologias surgidas durante a pandemia. Deve crescer o número de empresas que buscam formar uma equipe própria de marketing online com as facilidades do home office, esquema de trabalho que se adequa muito bem ao setor;

 

  • Varejo: a principal tendência para o varejo no Brasil é o que já tem acontecido desde o início da pandemia – o crescimento das vendas online. As empresas do setor devem se preparar para atender esse público que deve continuar comprando pela internet no ano que vem, além de criar atrativos para as vendas nas lojas físicas, diante de um novo comportamento dos consumidores;

 

  • Mercado de tecnologia: o mercado de tecnologia criou muitas oportunidades em 2020 por causa da grande demanda de empresas trabalhando remotamente, o que aumentou a necessidade de serviços relacionados à informática. E a tendência é de mais crescimento para 2021, segundo o relatório IDC WW Covid-19 – Impact on IT Spending, que aponta que 42% das empresas pretendem investir mais com tecnologia em 2021;

 

  • Logística: o setor de logística tem se transformado e exigido adaptação das empresas graças a inovações tecnológicas. A tendência para 2021 é de avanço no setor em áreas como inteligência artificial, análise de dados e automação;

 

  • Turismo: o setor de turismo foi bastante impactado pela pandemia e acumulou perdas em 2020, mas prevê crescimento para 2021. Segundo a Associação Brasileira das Operadoras de Turismo, 4 em cada 4 viagens comercializadas em setembro desse ano foram programadas para 2021, mostrando a tendência de recuperação.

 

E você, está otimista para 2021?