Fui vítima de uma fraude bancária. E o Linkedin me ajudou a resolver!

Provavelmente, sou uma das vítimas do enorme vazamento de dados que ocorreu ao fim do ano passado.

Por: Leonardo Raposo, Co-Founder and Head of US Operations
Escrito em: 24/03/2021

No fim do mês passado, através do DDA do meu banco identifiquei um boleto do banco BMG, o qual não tenho nenhum relacionamento.

Fui atrás da informação e descobri a abertura de uma conta em meu CPF e um cartão de crédito emitido em meu nome.

Imagine a dor de cabeça, ser negativado, receber cobranças indevidas, precisar de advogado, abrir B.O… e ainda ter de provar que não fui eu.

Graças a minha conexão com o Leonardo Camargo aqui no Linkedin, consegui resolver todo o problema!

 

E ficaram alguns aprendizados de tudo isso, que gostaria de passar para vocês:

 

1) Verifique sempre o Registrato, do Banco Central, para conferir quais bancos estão usando seus dados. O ideal é que só apareçam bancos que você tenha relacionamento.

 

2) Verifique junto ao SERASA as consultas feitas em seu CPF. Caso veja uma consulta de uma instituição financeira desconhecida, entre em contato com a instituição para entender o motivo da consulta. Nessa hora, a conta ainda não foi aberta e fica mais fácil resolver!

 

3) Uma senha vazada nunca mais volta a ser segredo. Então, qual é a solução? Não utilizar a mesma senha em todos os sites e bancos. Como?

Existem algumas ferramentas que resolvem isso. Eu adotei o 1Password. O programa gera senhas aleatórias para cada uso e uma senha máster. A única senha que você precisa lembrar daqui para frente é sua senha máster.

 

Fique de olho, cada vez mais dados são vazados – e cada vez é mais fácil acontecer uma fraude.

 

Aconteceu comigo, pode acontecer com você!