Como os recrutadores avaliam seu currículo?

Apresentar um bom currículo pode fazer com que o recrutador te escolha para a tão sonhada vaga. Entenda o que é avaliado nessa primeira peneira:

Por: Daniella Campos, Talent Acquisition
Escrito em: 28/07/2021

Você sabia que 30% dos recrutadores demoram de 6 a 10 segundos para descartar um currículo antes mesmo da primeira entrevista? Segundo pesquisa da Catho, feita com 400 profissionais, o olhar deles já vai focado para alguns pontos-chave. Apenas após esse descarte inicial, os currículos que passarem são melhor observados e vão para as etapas seguintes do processo de recrutamento.

Pode parecer superficial, mas diante da grande demanda de currículos recebidos pela área de RH, na maioria das empresas é isso o que acontece. Assim, é essencial trabalhar na forma de visualização de seu currículo e na organização de informações para garantir a aprovação nessa primeira fase.

 

Quais são os pontos principais do currículo?

 

Os pontos-chave analisados à primeira vista são: experiência profissional, objetivo e dados de contato. Se esses itens não constarem no currículo ou não estiverem fáceis de serem encontrados, o documento pode não receber uma segunda chance e ser descartado logo de cara.

Lembre-se que o objetivo deve sempre estar de acordo com a vaga para qual você enviou – vá adaptando seu documento a cada envio, ok?

Outros pontos também contam, como formação, curso complementares, cargo pretendido e idiomas de domínio. Vale lembrar que os cursos e experiências devem constar em ordem decrescente, ou seja, os últimos cursados (ou jobs atuais) sempre devem vir na frente dos mais antigos.

Não coloque números de RG e CPF, a não ser que tenham sido pedidos.

 

A diagramação também importa

 

Cuidado com mistura de cores e fontes. Escolha uma fonte apenas, em dois tamanhos no máximo, com cor preta.

O currículo deve ser clean e ter uma apresentação simples para que tudo seja facilmente encontrado. No topo, coloque sempre as informações principais que citei acima (experiência profissional, objetivo e dados de contato). Em seguida, informações secundárias (formação, curso complementares, cargo pretendido e idiomas de domínio) e, por fim, informações extras que você julgar importantes.

Isso não quer dizer que você não pode ousar na diagramação para se diferenciar dos concorrentes. Mas atente-se: há uma linha tênue entre chamar a atenção de forma positiva, com certa lógica entre os elementos, e chocar o recrutador com uma apresentação desordenada e que pode frustrar as suas chances de conseguir a oportunidade dos sonhos, hein?